Home Office nos tempos de Coronavírus

Improviso, tentação de comer toda hora, postura ruim… como melhorar o ambiente e os hábitos

Novidade para muita gente no isolamento, trabalhar em casa não é se jogar no sofá e assaltar a geladeira quando sentir ‘aquela’ fome… Veja dicas para fugir das tentações.

Sabe aqueles “memes” que circulam sobre engordar na quarentena pelo risco de, estando em casa, comer tudo o que vê pela frente? Esta é uma das tentações que existem para quem se viu, repentinamente, tendo que fazer home office, na batalha contra o coronavírus.

As demais são trabalhar do sofá ou da cama, ou em uma mesa improvisada, se perder nos horários (dormir demais ou de menos) ou nas mensagens do celular… Para ajudar a vencer essas “armadilhas”, o G1 reuniu dicas sobre bem-estar físico e mental no trabalho remoto.

O perigo da geladeira
Se não tiver guloseimas, não vai comer. Essa é a dica da nutróloga Bianca Zanchetta Buani Miguel.

Evite comprar alimentos ricos em calorias, como bolachas, salgadinhos, chocolates e refrigerantes. “Eles com certeza farão você se sabotar”, alertou Bianca.
Para “beliscar” no espaço entre as refeições, ela recomenda sementes, castanhas e frutas secas – mas cuidado para não exagerar na quantidade.

Nicole Moron, especialista em neuropsicologia, diz que, se for irresistível comer alguma guloseima, não deixe a embalagem a alcance das mãos.

“Vá à cozinha buscar apenas uma pequena porção. Provavelmente você pensará melhor antes de ter que se levantar para buscar mais’, recomenda a psicóloga.

Ela também aconselha a não praticar a autopunição caso se perca o controle. Isso só vai piorar seu psicológico, que pode já estar abalado no contexto atual.

E não esqueça de beber água. A nutricionista Deise Alves Manzine relembra que alimentação equilibrada e uma boa hidratação garantem um melhor rendimento e ainda evitam o ganho dos temidos quilos extras nesse período de restrição.

A nutróloga Bianca Miguel destacou ainda o consumo de alimentos ricos em vitamina C, como frutas cítricas, se possível, para aumentar a imunidade – lembrando que eles, por si só, não protegem contra o coronavírus

ara o café da manhã, Deise aconselha combinar boas gorduras e proteínas, como ovos, queijos e iogurtes. No almoço e no jantar, o foco deve ser nas saladas e nas proteínas, preferencialmente cozidas, grelhadas ou assadas – cuidado com as frituras.

Continua valendo a máxima de que, quanto mais colorido for o prato, melhor.

Nada de sofá

O local influencia diretamente na produtividade. Muita gente não teve tempo de preparar a casa para trabalhar ou tem um espaço próprio para isso, mas é importante seguir algumas dicas:

o ambiente deve ter boa iluminação, para que a luz do computador não seja tão agressiva aos olhos
e deve ser bem arejado, justamente para evitar o acúmulo de vírus e bactérias.
A postura também tem grande importância. Caso esteja errada, podem aparecer dores na coluna, na cabeça e em outras partes do corpo, além de insuficiência respiratória pela pressão corporal contra o peito.

Postura correta melhora a produtividade e evita problemas de saúde — Foto: Arte G1

Fácil falar, difícil improvisar
O publicitário Fernando Ribeiro, que agora faz home office por causa da pandemia, não está gostando da experiência.

Entre as reclamações dele estão a falta de conforto e o exagero na alimentação, especialmente no café. Mas o pior é o local: Fernando diz que, além de dores nas costas e nos ombros por estar trabalhando na mesa de jantar, também tem dores de cabeça pela iluminação ruim.

“Estou trabalhando até mais tarde, às vezes até entrando pela madrugada, e a luz do monitor está me prejudicando”, disse.
Para ajudar o corpo, o personal trainer Juscie Cardoso recomenda fazer alongamentos e exercícios físicos antes do trabalho e durante as pausas.

Ficar o dia todo sentado não vai adiantar em nada: “O mais importante é separar uma hora do dia para se cuidar”, disse o treinador.

Veja exercícios para fazer em casa na quarentena
Ele aponta que diversos canais on-line oferecem treinos funcionais para iniciantes, mas alerta que os exercícios devem ser oferecidos por um profissional certificado. Quem já pratica atividades pode seguir o ritmo com assessorias e treinos por videoconferência.

Corpo são, mente sã
Além do corpo, a mente também precisa estar saudável, o que é um desafio ainda maior em tempos de pandemia e quarentena.

Momentos de isolamento social são propícios para ansiedade e pensamentos negativos, como sentimentos de abandono, insatisfação e solidão, explicou a psicóloga Nicole Moron.

Yoga na quarentena: relaxe e se exercite com a ajuda do G1
Por isso, alguns cuidados devem ser tomados, como um automonitoramento dos pensamentos e o distanciamento de informações excessivas – inclusive nas redes sociais.

“Podemos pensar na disciplina de forma mais agradável, pois, se eu não mantiver uma disciplina, eu vou conviver com a culpa”, disse Nicole.
A especialista chamou a atenção para a necessidade de se estabelecer uma rotina para o trabalho remoto, como se o funcionário estivesse indo para a empresa, respeitando pausas para café, almoço e descanso.

Ela também sugere reservar um momento para uma meditação respiratória, para manter o foco e a oxigenação do cérebro.

Silêncio ajuda
Renato Cunha, executivo especialista em inteligência artificial para saúde, faz home office desde 2017. Morador de Porto Alegre, ele transformou um pedaço de seu apartamento em escritório e estabeleceu essas rotinas.

Mesmo sem ter um horário estipulado pela empresa, ele busca respeitar uma carga horária própria para não extrapolar no trabalho.

Além de fazer pausas para almoço e descanso (que usa para tarefas domésticas), ele também destaca o ambiente quieto como fator que ajuda a render mais.

“Para que eu possa produzir bem, não posso ter barulho externo, nem outras coisas que me distraiam”, disse Renato, que desliga a televisão e costuma fecha as janelas para bloquear até os ruídos da rua.

É uma dica pouco prática para quem divide o espaço com mais pessoas, mas pode ser valiosa para quem cumpre o período de isolamento sozinho.

Não é o caso de Fernando Ribeiro, que produz conteúdos para redes sociais e edita vídeos para uma empresa, e sofre com o barulho da casa: os cães latindo, sua mãe fazendo as tarefas domésticas e seu pai assistindo televisão em volume alto tiram sua concentração.

Segundo ele, nem os fones de ouvido salvam… “A maior parte do meu trabalho está no áudio e nem os fones de ouvido isolam totalmente os ruídos de fora”, disse.

 

Fonte:  https://g1.globo.com/

7 dicas para a venda do seu imóvel ser um sucesso

Saiba como vender seu imóvel no menor prazo e pelo melhor preço possível

Ainda que você não seja um investidor imobiliário, se você tem um imóvel próprio e deseja vender ele, certamente quer fazê-lo no menor tempo possível e conseguir o melhor preço – principalmente se for um segundo imóvel que só está dando despesa. Mas para isso, é preciso ter iniciativa e não ser intransigente demais nas condições.

A menos que você tenha um imóvel realmente irresistível e com um grande diferencial, vale a pena observar alguns cuidados para conseguir fazer uma venda de sucesso:

1 Tenha toda a documentação em dia, sem pendências ou inadimplência

Um dos pontos cruciais da vistoria feita pelos compradores é a documentação dos vendedores e do imóvel. Por isso é importante não ter dívidas em atraso que possam atingir o imóvel mesmo depois da venda, ou mesmo um processo de penhora já iniciado. A documentação em dia já será um ponto a seu favor.

É possível vender um imóvel que esteja em inventário ou que seja alvo de uma partilha de divórcio, mas isso pode afastar compradores que tenham medo de conflitos entre os herdeiros ou o casal que está se separando.

2 Deixe o imóvel apresentável para visitação

Especialistas em mercado imobiliário recomendam que sejam feitos reparos essenciais no imóvel antes de abri-lo para a visitação. Pintar as paredes de cores neutras, consertar defeitos mais aparentes (como pequenos vazamentos), tirar mofo e infestações por insetos, aparar a grama do jardim e fazer uma readequação elétrica e hidráulica são algumas dessas medidas.

Só não vale a pena fazer uma grande reforma e gastar muito dinheiro, pois as mudanças podem não ser do agrado do comprador, que poderá ter de reformar tudo de novo. Veja o que vale e o que não vale a pena reformar antes de pôr um imóvel à venda.

Se o imóvel ainda estiver ocupado pelo proprietário ou por um inquilino, é recomendável retirar, na hora das visitas, traços extremamente pessoais e potencialmente polêmicos, como motivos religiosos ou decoração ligada às preferências musicais ou ao time de futebol do morador. A limpeza dos ambientes também é fundamental. Veja quatro estretégias para vender seu imóvel rapidamente.

Mesmo detalhes podem atrapalhar muito a venda se forem ignorados. “Se o potencial comprador só puder visitar o apartamento à noite, por exemplo, ele não pode chegar lá e a luz estar cortada”, exemplifica Wang Chi Hsin, investidor em imóveis e coautor do livro “Investir em Imóveis: entenda os segredos práticos deste mercado”, da Ed. Évora.

3 Não peça um valor fora da realidade

Como qualquer produto, imóveis têm concorrência. Provavelmente haverá propriedades à venda semelhantes à sua, em qualidade e em localização. De nada adianta pedir um valor muito acima dos preços dos imóveis com o mesmo padrão que o seu.

De acordo com o livro “Investir em Imóveis”, o valor fora da realidade limitará, desde o início do processo, o número de interessados. “Não se iluda achando que receberá propostas e poderá, no momento da oferta, negociar”, diz o livro.

A avaliação para chegar ao preço justo pode ser feita por um profissional do ramo imobiliário, mas o proprietário pode se valer de algumas estratégias, como uma pesquisa de preços dos imóveis à venda na mesma região e suas condições de conservação. Também é recomendável se informar sobre o preço e o estado de outras unidades vendidas recentemente no prédio onde está localizado o imóvel que você quer vender.

4 Não enrole para entregar o seu produto

Segundo Wang Chi Hsin, o prazo de entrega costuma ser muito importante para quem compra um imóvel. Por isso, não tenha um prazo longo demais para desocupar sua propriedade e entregá-la. Quanto mais cedo ela for entregue após fechada a compra, melhor.

5 Não seja intransigente com as formas de pagamento e horários de visitação…

Principalmente se seu imóvel sofrer muita concorrência de imóveis semelhantes – no mesmo bairro e às vezes até no mesmo condomínio – vale a pena ser flexível com as formas de pagamento e aceitar parcelamentos ou financiamento.

Outra coisa que pode dificultar a venda é muita restrição aos horários de visitação ao imóvel. A maioria dos potenciais compradores visita imóveis antes e depois do expediente de trabalho e aos fins de semana.

É uma boa ideia, portanto, aceitar visitações fora do horário comercial, em faixas de horário e dias específicos – por exemplo, aos sábados.

No entanto, fique atento às medidas de segurança. “É importante saber quem é o interessado, e ele deve vir com documento de identidade e acompanhado de um corretor”, observa Gilberto Benevides, sócio de construtoras e coautor do livro “Investir em Imóveis”, junto com Wang Chi Hsin.

6 …mas limite a visitação a horários em que o imóvel esteja apresentável

A ocupação do imóvel pelo proprietário ou pelo inquilino pode tanto ajudar quanto atrapalhar a venda. “Se o apartamento estiver bem decorado, isso ajuda na venda. Os candidatos a comprador não têm muita noção de espaço quando o imóvel está vazio. É por isso que as incorporadoras montam apartamentos decorados”, diz Benevides.

Ele lembra ainda que se deve dar preferência à marcação de visitas em dias e horários em que o imóvel esteja arrumado e apresentável. E evitar horários inconvenientes para o morador. “É preciso agendar horários em que o apartamento esteja bonito para se ver”, diz Benevides.

7 Contrate uma única imobiliária

É aconselhável contratar uma boa imobiliária para cuidar do processo de venda de um imóvel, principalmente se você tem pouco tempo disponível. Assim você evita receber centenas de ligações, sendo que a maioria será de pessoas sem condições reais de comprar sua propriedade ou de corretores oferecendo serviços. Veja como tirar bom proveito da imobiliária, sendo comprador ou vendedor.

A imobiliária cuidará dos e-mails e das ligações, das questões legais, da marcação e do acompanhamento das visitas, da adequação dos interessados aos imóveis anunciados e da divulgação do seu produto nos canais mais adequados. Segundo Gilberto Benevides e Wang Chi Hsin, o ideal é contratar uma única imobiliária, por um período que pode ir de 90 a 120 dias.

“Quando você anuncia em várias imobiliárias, nenhuma delas trabalha direito o seu imóvel. Uma teme ter o cliente ‘roubado’ pela outra depois de levá-lo para visitar o imóvel, e elas receiam marcar a visita e o imóvel já ter sido vendido pela outra”, explica Benevides.

Além de verificar a idoneidade da imobiliária e dos corretores, é fundamental escolher uma empresa que faça boa divulgação pela internet e que seja especializada no tipo de imóvel que você quer vender e na sua região.

De acordo com Wang Chi Hsin, o vendedor não precisa se preocupar em perder os clientes potenciais de outras imobiliárias. “As imobiliárias são pragmáticas. Se outra imobiliária aparecer com um cliente em potencial, ela vai fazer um esforço de vendas em conjunto com a sua, e as duas vão compartilhar a corretagem”, explica o especialista.

Fonte: https://exame.abril.com.br/

Santander inicia contratação online de crédito imobiliário

Os clientes poderão fazer simulação de crédito, aprovar a contratação e enviar os dados e documentos necessários pelo celular ou computador

São Paulo – O Santander Brasil anunciou nesta terça-feira o lançamento de uma plataforma online para a contratação de crédito imobiliário no ambiente digital do início ao fim do processo.

A instituição divulgou em nota que os clientes poderão fazer simulação de crédito, aprovar a contratação e enviar os dados e documentos necessários pelo celular ou computador, se tornando assim a primeira a oferecer este serviço no país.

Esse conceito, conhecido como autoservice, tende a dar mais fluidez à contratação do crédito e acontece quase que inteiramente pela internet, já que ainda é necessário ir a uma agência do banco no momento da assinatura do contrato, por conta do registro no Cartório de Imóveis.

O Santander estima que, com a nova forma de contratação, o prazo médio para a finalização do processo cairá dos atuais 60 dias para apenas 30.

O cliente que optar por esta forma de negociação passa a acompanhar o andamento de cada etapa da contratação pelo internet banking ou diretamente no aplicativo do banco e será contatado por e-mail ou SMS para solucionar problemas que possam impedir o andamento do processo.

No início de julho, o banco anunciou redução dos juros anuais do financiamento imobiliário, mas para ter acesso às taxas diferenciadas é necessário ser cliente pessoa física com relacionamento e optar pelo pagamento do empréstimo em parcelas atualizáveis (SAC).

Fonte: http://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/